PAPA FRANCISCO: “ADVENTO, TEMPO DE VIGIAR E ORAR”

“Sair da resignação e alimentar esperanças e sonhos para um futuro com Deus”

9-en_01351699_0850Vigiar e orar: o Papa Francisco indicou estas atitudes, recomendadas por Jesus e expressas no Evangelho de Lucas, como o caminho, neste início de Advento, para “sairmos de um modo de vida resignado e habitual e alimentar esperanças e sonhos para um novo futuro, com a vinda de Deus”.

De sua sacada para a Praça São Pedro, o Pontífice destacou, a partir do Evangelho deste domingo, a necessidade da vigilância:

“O Advento nos convida a um compromisso de vigilância, a olhar para fora de nós mesmos, ampliando a nossa mente e o nosso coração para nos abrirmos às necessidades de nossos irmãos e ao desejo de um novo mundo. É o desejo de tantos povos martirizados pela fome, pela injustiça e pela guerra; é o desejo dos pobres, dos mais frágeis e abandonados. Este tempo é apropriado para abrir os nossos corações, para nos questionarmos concretamente sobre como e para quem dedicamos nossa vida”.

Outra atitude para vivermos bem o tempo da espera pelo Senhor é a oração: trata-se de levantar e rezar, voltando nossos pensamentos e nossos corações para Jesus que está para vir. Mas qual é o horizonte da nossa espera em oração?

Como o profeta Jeremias, que fala ao povo sofrido pelo exílio e que teme perder a sua identidade, nós, cristãos, também corremos o risco de nos mundanizar e até de “paganizar” o estilo cristão. Por isso, precisamos da Palavra de Deus.

Antes de rezar com todos a oração mariana do Ângelus, Francisco disse ainda:

“Que a Virgem Maria, mulher da espera e da oração, nos ajude a fortalecer nossa esperança nas promessas de seu Filho Jesus, para nos fazer sentir que, através das aflições da história, Deus permanece fiel e utiliza também os erros humanos para nos demonstrar sua misericórdia”.

_________________

Vatican News

 

Check Also

7-web3-am103118-01-pope-francis-general-audience-october-31-2018-antoine-mekary-aleteia-i-media-am_0822

Papa: mais espaço às mulheres nas funções de responsabilidade da Igreja

Em seu discurso, Francisco dirigiu seu pensamento “afetuoso e agradecido” a Bento XVI, sublinhando sua …